sábado, 25 de janeiro de 2014

O Grito do Silêncio



O Grito do Silêncio

A quietude me levanta. 
O silêncio me mantém em pé. 
O mundo desaba aos meus pés.
Eu só quero descansar de tanto sofrimento. 
De tanta dor.
De tanto desespero. 
O desespero consome as vísceras; 
Expõe nosso interior: frio, triste, magoado, machucado. 
Tento chorar, mas as lágrimas não vertem. 
A árvore do choro não dá mais frutos.
A seiva secou. 
 Ficou só a vontade de pôr pra fora o que não há como ser dito. 
(Nem escrito.). 
 Ficou só a dor de não poder fazer nada. 
Um grito por dentro:
Silêncio.


 Paolla Milnyczul


Conteúdo protegido por Direitos Autorais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário