sexta-feira, 21 de junho de 2013

Os Simbólicos Vinte Centavos

Vinte centavos. Um valor numérico que parece pouco mas foi muito, virou um símbolo. Vinte centavos foi o estopim de uma bomba que estourou e acordou toda uma geração, toda uma nação, a nação brasileira, o povo brasileiro, juntos tornando um só, gritando a quem quisesse ouvir em uníssono, com uma só voz, a mesma canção – viramos gigantes. Vinte centavos foi um nada que se tornou tudo. Mas não é só por vinte centavos. Ele foi só o começo. Porque o Brasil luta? Pelo que? o Brasil luta pelo Brasil. 
Entramos no século XXI indignados, mas estagnados. Conformados, com as grandes bundas nas poltronas almofadadas assistindo TV, mas pegando seis ônibus pra ir trabalhar, todos com um valor bem acima do que vale o transporte público urbano; ficando em filas de duas horas (no mínimo) para ser atendido num hospital pelo SUS, e quando atendido é mal atendido, sendo sujeito a ficar jogado numa maca no corredor caso precise de internação – mas o hospital não dispõe de leitos nem de pessoal o suficiente. Trabalhando de 5 a 6 meses por ano só para pagar os impostos do que consome, tendo que fazer um imposto de renda absurdo, pagando a conta de viagens de políticos, tendo que ficar entalados com superfaturamento de obras para a copa, e ainda ter que ver tanta gente que, lá atrás, participou do “mensalão” ainda está trabalhando lá em Brasília, recebendo salários exorbitantes, e outros tantos salários acrescidos de valores inimagináveis como o 14º e o 15º salários. O brasileiro ficou pagando tanto tempo pelo luxo de tanta gente que não faz nada por ele, pelo povo brasileiro, que os vinte centavos foram simbólicos, e o Brasil se abalou.
Lutamos pelo conserto de tudo isso descrito acima: por melhores condições de saúde, habitação, escola, trabalho, transporte público, e, acima de tudo, pela dignidade humana, coisa que anda tão rara no Brasil de hoje em dia. Lutamos pela anulação da PEC 37 e da PEC 33, pela condenação dos mensaleiros, por anulação da tal “cura gay” que Feliciano “delicadamente” impôs sem sermos consultados – uma das coisas mais ridículas que já vi, ser gay não é ser doente, e não existe cura para o que não é doença! – entre tantas outras coisas. Falam que não temos uma pauta. Temos. Falam que não temos um motivo. Temos. Falam que não entendem o porque dos protestos e manifestações, mas entendem. Afinal, os simbólicos vinte centavos abaixaram, não abaixaram? 

Tô (com o perdão da palavra) com um puta orgulho de ser brasileira, coisa que não sentia há anos. Se é que alguma vez senti. Com orgulho do povo brasileiro, que se indignou, finalmente. 

Continuamos lutando para continuar sentindo esse tal orgulho de ser brasileiro. Acordamos. E não pretendemos voltar a dormir!

Paolla Milnyczul

“Somos os filhos da revolução.” – Renato Russo

Conteúdo protegido por Direitos Autorais. 

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Geração Coca-Cola (Com Mentos)





Hoje, estou com orgulho do Brasil (em sua maioria). Hoje, estou com orgulho de ser brasileira. De fazer parte desta geração que se indigna e luta. Geração que acordou e se incomodou. Que vai às ruas, deixando de lado qualquer diferença e sendo uma só massa: o povo brasileiro. Em uma eterna luta pela dignidade humana. Pela paz. Pela vida!

Paolla Milnyczul

Conteúdo protegido por Direitos Autorais.