sexta-feira, 10 de agosto de 2012

A gente entende. (Entende?)

Às vezes a gente olha nos nossos próprios olhos no espelho e entende. Entende que a gente não é nada mais, nada mesmo do que um rascunho de nós mesmos, que a nossa alma transcende inúmeras vezes em uma só vida. A gente entende, mas é tão mais fácil as coisas não saírem de prumo, é tão mais fácil a acomodação do que é (ou não é), e é tão mais difícil vermos o que é novo. Ah sim, eu olho e entendo. Entendo como jamais entenderia alguma outra coisa ou algum outro alguém.
A paz, meu bem, não é fácil nem vem de bandeja, é conquistada. Se, para termos paz precisamos, às vezes, ferir os outros ou nos ferirmos, qual seria o sentido desta? A busca pela própria, em que aprendemos a nos conhecermos de verdade. (Mas a gente já sabe disso não é?).
Ah, mas olha só, a vida não é fácil, encontrar a [nossa] paz não é fácil, e – principalmente – nos entendermos não é fácil. Pense, com toda a sua calma, que – eu sei – você tem aí dentro deste coração pulsante demais e deste ser que você é que é pura emoção: “O que eu quero mesmo?...”.
O importante é se sentir bem consigo mesmo. Sem culpa nem remorso por coisa alguma. Porque sofrer não está em pauta na vida!

Paolla Milnyczul

“Dentro em nós existe um porto, galerias frágeis de emoções doídas, uma manhã clara, inteiramente nua e as águas azuis e mornas de nosso exílio.” – Tiago Fabris Rendelli

Conteúdo protegido por Direitos Autorais.

3 comentários:

  1. Falou tudo Paolla! " O importante é se sentir bem consigo mesmo".
    Devemos sempre ter isso em mente! :)

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. O que eu quero é ser feliz..

    ...Beijão!

    ResponderExcluir
  3. Adorei o texto, acaba sendo muito interessante nos analisar enquanto 'rascunho'...e isso me conforta!

    Abraço,

    Reynaldo Loio

    ResponderExcluir