quarta-feira, 9 de maio de 2012

Nuances de Um Amor Desavisado

O cheiro embriagador do seu perfume está em mim. E foi como se todos estes anos sem você não tivessem sido nada, só um curto período no espaço-tempo em que eu estava morta para ter alguém que não fosse você. Você e seus lábios perfeitos, seus olhos negros como dois poços escuros e misteriosos. Você e as covinhas que faz no canto da boca quando ri com seus dentes brancos e perfeitos. Você a sua barba bem feita. Você e seu 1,90m, alto, tão mais alto que eu. Você e suas mãos grandes, tão grandes que engolem a minha, pequena e frágil. Você. 
Você com essa sua mania de me ligar pela manhã. Você com seus sumiços. Você com sua voz rouca. Você, cheio de surpresas, me enlouquece. Você, com seu cheiro matador e único. Eu te conheço há tanto tempo, você e seu amor-amigo, amor bandido, amor que se foi, amor que sempre se vai. Amor. Acordei pensando nisso tudo. Você está aqui, ao meu lado, dormindo profundamente. 
Voltou. Não vai partir, foi o que me disse. Desta vez fica. Encho minha alma de esperança e procuro acreditar em tudo que me diz. Você me abraça com seus braços quentes e pesados. Desvencilho-me do seu aperto, levanto e coloco uma camisa sua. Nada melhor que ter seu cheiro impregnado em mim, acho que não há intimidade maior ter seu cheiro em outra pessoa. 
Estou exausta, você me desequilibra, exaure, me deixa sem fôlego. É sempre assim, esse amor desavisado, louco e ensandecido, quase selvagem. E então você some e me deixa. Vou descalça até a cozinha, pego um dos copos, e bebo a água gelada ouvindo o tique-taquear do relógio cuco antigo. Olho o escuro da noite pela varanda, a lua cheia. Ouço o silêncio da madrugada, somente o cricrilar dos grilos, as folhas que farfalham lá fora pela brisa suave, uma coruja quebram este silêncio. Sinto de repente sua falta, e volto a me deitar mesmo sem conseguir dormir. Você me abraça, e, desfalecida em seus braços, te ouço falar em meu ouvido com a sua voz rouca: 
– Eu te quero. 
E eu já quase morta de amor respondo, com borboletas no estômago e a pele arrepiada pelo seu toque que já me deixa úmida por dentro, respondo: 
– Me tenha, faça comigo o que quiser, sou sua. Sou sua hoje e sempre. 
Nunca pensei que diria isso a alguém. Nem pra você, mas agora você está aqui, e pronto, falei, não consegui me conter – eu, sempre tão contida, não me contive desta vez, não com você, nunca com você. Me tenha, é o que penso e quero: me tenha. Você passa a ponta dos dedos pela minha boca, contornando-a. Dou um sorriso tímido, te abraço e grudo meu corpo no seu, tão bem feitos um para o outro que parece que foram feitos sob medida. Sinto uma lágrima escorrer pelo meu rosto. Você a enxuga. 
– Não chore, eu não vou embora desta vez. 
– Então você fica mesmo? – pergunto, com lascas de esperança na alma. 
– Fico. – você responde com firmeza. 
Você enrosca os dedos nos fios do meu cabelo já tão embaraçados de suor e os faz embaraçar ainda mais, puxa-me pela nuca e me beija, nossas bocas e línguas se encontrando, se massageando, suaves, lentamente. Suas mãos rápidas – como são rápidas! – jogam longe a camisa, deixando-me nua com destreza, nós dois pulsando de desejo, nos fundindo, assinando assim o encontro das nossas almas, selando nosso compromisso de amor. O beijo ávido continua, e, em momento durante todo o ato de amor nossas bocas se desencontraram. 
E quando acaba ficamos nus, enroscados, perna com perna, ventre com ventre, rosto com rosto, boca com boca, os olhos fechados, bebendo da sua boca o néctar que de mim sugaste. 


Paolla Milnyczul



Conteúdo protegido por Direitos Autorais

3 comentários:

  1. ah, flor lindo é tudo aqui.

    bjos e voltarei sempre....

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem??
    Que textos lindos por aqui!
    Já conhece o www.desvendandocasamento.com.br??
    Está bem no comecinho... Bom pra acompanhar desde a primeira postagem! ^^
    Se gostar, segue lá...
    O blog também tem uma página no Face, ok? Se quiser curtir também =)
    Beeeijos.

    ResponderExcluir
  3. Nossa..gostei deste texto. Por um momento, consegui me ver ali. Só que o meu amor desavisado não entre e sai da minha via.Ainda bem,né? Enfim, é bom ser pega de sobressalto e viver estes momentos de paixão

    Abraços

    http://folheandopensamentos.blogspot.com

    ResponderExcluir