segunda-feira, 16 de abril de 2012

Meu Anjo:

Hoje eu poderia até não falar de você. Poderia, mas não vou. Vou falar de você, dos seus olhos castanho-claros, da sua boca vermelha e do seu sorriso gigante que rasga a alma. Vou falar da sua inteligência, da sua perspicácia, do seu jeito quieto e observador de esperar chegar a hora certa para fazer (e falar) as coisas certas. Vou falar da sua sensatez, do seu senso crítico, do seu medir as palavras. Vou falar dos abraços bem dados, apertados, o melhor do mundo porque você não tem medo de abraçar, abraça apertado, apertado. Vou falar do seu olhar atento, da sua antena interna que capta tudo à sua volta, da sua clareza de pensamento. Vou falar do seu respeito para com os outros, da sua sinceridade sem fim. Vou falar do seu sem jeito-meio-sem-jeito pra tirar foto porque acha que não é fotogênico. (mas é). Vou falar do seu jeito de dirigir meio descuidado e ao mesmo tempo atento, da sua paciência que parece sem fim mas que uma hora acaba (é, eu sei, acabo com a paciência de qualquer um), da sua implicância com coisas pequenas, mas que pra você tem um significado enorme. Vou falar da sua vontade de crescer na vida, da sua mania de organização que me tira do sério, ser bagunçado que sou. Vou falar do seu querer saber tudo o tempo todo, e estar sempre me enlouquecendo com isso, porque tem hora que eu preciso ficar quieta. Vou falar do seu medo de agulha e desconforto em ambientes de saúde em geral. Vou falar que você é palmeirense, louco por futebol e Fórmula 1, e assiste qualquer jogo que esteja passando, seja do Palmeiras ou não. (e eu não entendo isso, mas...). Vou falar até da sua aptidão na cozinha, que é um chef de mão cheia digno de ser um Gordon Ramsay! (quem diria né amor?). Vou falar do seu cuidado comigo, da sua preocupação, do seu carinho, que seu jeito de fazer cafuné me faz querer mais, do seu bem querer para com o meu querer que é imenso, da sua vontade de me entender, da sua mania de querer estar na minha cabeça e às vezes conseguir. 
E tudo isso  –  e muito mais!  –  cabe em 28 anos de vida bem vividos e um coração que é enorme porém seletivo (e eu tô nele)!
Esse dia é seu, só seu, um jeito de dizer que você conseguiu: viveu mais um ano com alguns arranhões, muitas lutas, litros de suor, algumas lágrimas, sorrisos mil, toneladas de paciência e vontade, que você sobreviveu à ele, o mundo nosso de cada dia em que vivemos, que anda tão bagunçado! (Ah, sim, e a sua mania de querer arrumá-lo de qualquer maneira!)
Parabéns meu anjo aniversariante, que venham muitos mais anos pela frente!



Paolla Milnyczul


“Quando você tiver alcançado o seu objetivo, não se acomode. Busque logo um novo.” – Dirk Wolter




Conteúdo protegido por Direitos Autorais.

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Reflexão do Mês - Abril




"Se você é gentil, o povo pode acusá-la de egoísta, interesseiro. Seja gentil assim mesmo. Se você é um vencedor, terá alguns falsos amigos e alguns inimigos verdadeiros. Vença assim mesmo. Se você é honesto e franco, o povo pode enganá-lo. Seja honesto e franco assim mesmo. O que você levou anos para construir, alguém pode destruir de uma hora para outra. Construa assim mesmo. Se você tem paz e é feliz, o povo pode sentir inveja. Seja feliz assim mesmo. O bem que você faz hoje, o povo pode esquecê-lo amanhã. Faça o bem assim mesmo. Dê ao mundo o melhor de você, mas isso pode nunca ser o bastante. Dê o melhor de você assim mesmo."

Madre Teresa de Calcutá

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Imortalize-se



Imortalize-se. Faça sua passagem pelo planeta Terra valer a pena, deseje o bem seja a quem for. Lute, tenha força, se jogue nos seus sonhos. Troque tudo de lugar e reinvente-se. Ajude os outros, mas não crie as expectativas de que será ajudado. Conheça pessoas e lugares diferentes, não se acomode com uma vida mais ou menos. Não tenha medo, o medo tranca as portas que deveriam estar abertas. Tire do mundo o que ele tem de melhor e de pior. Aceite-se. Pratique o bem sempre, pode crer, ele volta. Faça com que valha a pena. Dê o seu melhor em tudo. Sempre!


Paolla Milnyczul



Conteúdo protegido por Direitos Autorais.

domingo, 8 de abril de 2012

Doe Esperança!

Hoje é domingo de Páscoa e eu estou aqui, entre ovos de chocolate trufados de maracujá da Cacau Show, nada na televisão que me satisfaça a curiosidade, livros recém ganhados e um recém comprado da Martha Medeiros, meio perdida em crônicas maravilhosas e o cheiro do almoço dominical (maravilhoso!). E nos meus pensamentos. Todo mundo fala da Páscoa hoje. Mas poucas pessoas falam do dia que hoje, 8 de Abril, é realmente: Dia Mundial de Combate ao Câncer. Acho que não têm doença pior no mundo, é uma doença que te dá 90% de certeza de que você não vai viver. E 10%, ou talvez menos, de que talvez sobreviva. É, eu sei, cruel. 
Eu tento imaginar quando a pessoa recebe um diagnóstico desses, o que ela pensa, o que sente. Imagine uma mãe, que recebe o diagnóstico de câncer no seu filho amado. Imagine, porque eu não consigo, por mais que pense, por mais que tente sentir. Diagnóstico cruel.  Palavrinha infame essa: CÂNCER. E outras bem mais infames: incompatível, incurável, intratável, metástase. 
O que eu acredito é que quando você vê que talvez não sobreviva, que pouco tempo têm de vida, é que acontece o inimaginável: vive! Luta com todas as suas forças. Aprende. Cresce enquanto pessoa. E vive tudo que há pra viver, talvez não tenha tempo, não é mesmo? Então pra que perder chorando e se lamentando, se vivendo de verdade é bem melhor? É aí que muita gente vê que o melhor na vida é ter saúde e força pra poder lutar. E (sobre)viver. E veem que é na solidariedade de poucas pessoas que pode estar a sua salvação. 
Posso não ter passado por um diagnóstico desses, e espero nunca passar, mas já passei (e passo!) por várias outras coisas que me fizeram, depois de um tempo, refletir e repensar as coisas, a vida, o que realmente é importante: família, amor, amigos. E saúde. Pra poder viver melhor. 
Por isso faço um apelo: tentem, ao menos uma vez na vida, salvar alguém: seja doador de órgãos, coloque lá no seu RG: DOADOR DE ÓRGÃOS. Doe sangue. Doe medula óssea. Fazendo isso você doa não só seu sangue, um rim, um coração, ou sua medula, mas também esperança. E VIDA! Você pode não salvar uma pessoa do câncer, mas pode salvar a vida de outras pessoas de outras atrocidades, dando a elas uma luz no fim do túnel.
Eu quase precisei uma vez de doação de sangue. Um dia, quem sabe, você possa precisar. Ou seu filho. Ou sua mãe. Ou sua tia, seu primo, seu pai, seu irmão, seu vizinho, seu amigo mais chegado, seu marido, sua esposa.
Pense nisso.




Paolla Milnyczul  


"O mais importante é estar vivo e com saúde. O restante a gente tenta conquistar. E o que vier está de bom tamanho!"  Reynaldo Gianecchini, ator, na luta contra o câncer.





Conteúdo protegido por Direitos Autorais.