segunda-feira, 5 de março de 2012

O Dilema dos Trinta

Eu queria que alguém me explicasse por quê tanta mulher tem medo de chegar aos trinta anos. Eu não sei. Me falaram que quando eu tivesse entrado nos trinta, eu teria a tal maturidade, e etc. e tal, botam uma expectativa do tamanho de um bonde, a gente se cobra tanto que parece um rito de passagem ter trocado o digito 2 pelo 3 e o 9 pelo 0. Conheço muita mulher linda e inteligente que morre de medo de chegar aos 30 anos; acha que vai engordar, que vai ficar feia, que vai ficar velha, que o peito vai cair, que nenhum homem mais vai querer, que tem que ter um filho, que o corpo não vai mais ser o mesmo, e pira, surta, sai a fazer plástica e enfiar creme e botox na cara, pára de rir da vida e se estressa antecipadamente por algo que nem aconteceu. Só que não é assim! Você só está um ano mais velha, sem grandes traumas. Quanto pânico por uma coisa tão simples! 
Tudo bem, algumas coisas vão mudar e a gente não sabe quais, mas ninguém tem o mesmo corpo agora que tinha aos 15, 18, ou 20 anos de idade. Tudo muda (ainda bem!), e geralmente pra melhor. Tendemos a passar por mais experiências e sermos então uma pessoa melhor, e a se conhecer melhor, a saber o que fica e o que não fica bem na gente. Mas é isso é com o tempo, não é: fez 30, TÊM que ser assim ou assado, quanta imposição nos colocamos, e pra que? Só estressa (e envelhece). É claro que a gente tem que se cuidar, sim, mas sem neurose, sem piração. 
Nós, mulheres, temos que parar de nos cobrar um pouco, de TER que ser a melhor esposa, a melhor amante, a melhor mãe, a melhor amiga, a melhor dona-de-casa, a melhor filha, a melhor profissional, e ainda tem que ter o cabelo mais lindo e brilhoso do mundo e ter a melhor bunda, tudo-isso-ao-mesmo-tempo-junto-e-misturado. Peraí minha gente, menos – bem menos! – , vamos com calma. A gente precisa deixar as coisas acontecerem aos poucos, ir trilhando nosso caminho com calma, sem antecipar as coisas, saber respeitar que cada coisa tem seu tempo, e que a gente precisa se respeitar e – principalmente! – respeitar nosso próprio tempo, senão enlouquece. E  aceitar que todo mundo tem seus defeitos e imperfeições e que só cabe a nós mesmos parar de querer escondê-los e fazer deles um charme a mais. 
Eu entrei nos 30's em fevereiro, e aí, qual foi a "mágica" que aconteceu? Nenhuma. Nada mudou, não sou mais ou menos sábia, mais ou menos madura, mais ou menos bonita, mais ou menos gostosa, mais ou menos mulher. E vi que a gente cria expectativa numa coisa que não existe e que idade é só um número e não vem de fora, vem de dentro da gente. E entendi que a idade que a gente tem é a que quer ter, é a que o espírito da gente tem (e o meu é jovem.). A gente tem que rir da vida, de nós mesmos, dos momentos, dos acontecimentos, porque é melhor levar a vida com disposição e bom humor, e sem neuras. Faz bem pra todo mundo: pra mim, pra você, pra quem vive (ou convive) com você! 
Então vamos encarar a vida com leveza, pois é o que a vida pede da gente: LE-VE-ZA! Leveza pra amadurecer, leveza pra novas experiências, leveza pra novos aprendizados. Um sorriso no rosto e um brilho nos olhos (e na alma!) faz a gente muito mais bonita do que um peito tunado e a bunda mais malhada do mundo.
Porquê boniteza, minha gente, vêm de dentro!

Paolla Milnyczul



"Longe de mim querer dar lição de moral. Só acho que as pessoas deveriam se preocupar mais com as coisas de dentro. O que tá fora, meu amigo, é completamente perecível." 
 Clarissa Corrêa





Conteúdo protegido por Direitos Autorais.

7 comentários:

  1. Sempre com sábias palavras amora!!! Falou tudo, a idade tá dentro da gente, e não tem que ser de jeito nenhum, tem que ser do jeito que é, e ponto. Te amo muito
    Beijos Kah

    ResponderExcluir
  2. Que texto maravilhoso!! Acredito que os 30 anos não representam maturidade, mas nos convida à reflexão. Lindo, anjo!

    ResponderExcluir
  3. Muito bom seu texto!
    E seu blog é lindo, já virei seguidora!
    Beijos no seu coração!

    ResponderExcluir
  4. Muito bom, Paolla!
    Eu me preocupo muito com a minha chegada aos trinta anos.. mas não como as outras mulheres se preocupam. Minha preocupação advêm da vontade de me estabelecer fincanceiramente e ser independente em muitos sentidos.
    Fora isso, tô fora! Sei que meus seios não irão cair e que minhas rugas um dia hão de aparecer e tanto faz que sejam com 30 ou 40 anos.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu, não se preocupe! os 30 não doem, e se estabelecer financeiramente, ah!, é bom o tempo, com o esforço, tem muita mulher de 40 anos sem ter se estabelecido ainda e muita de 20 que já se estabeleceu! Quanto à independência, relaxe, independencia a gente conquista! E eu gosto MUITO da minha, que consegui antes (bem antes!) de completar meus 30!
      Beijão!!!

      Excluir
  5. Que legal Paollinha, não sabia que vc estava com blog.
    Sobre o post, concordo totalmente com vc, tem pessoas mais jovens que pelo espírito são pré-históricas hahaha
    pois pensam e agem com atitudes chatas e conservadoras, que muita vezes não condizem com a idade, o nosso espírito influi muito no nosso pensamento e comportamento ^^

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Tamy, voltei a blogar!! Como quando nos conhecemos! :D

      Excluir