quarta-feira, 30 de novembro de 2011

O Que Te Faz Feliz?

Eu simplesmente não sabia o que escrever. Não por que estava sem idéias, bem ao contrário, as idéias pululavam em minha cabeça, e  tantas e com tantos temas, que acabei ficando, na verdade, sem foco. Então, estava navegado na internet e me deparei com uma foto com fundo branco na comunidade do Blog Eutimia às Avessas somente com a seguinte frase: "O que te faz feliz?" Aí me chamou a atenção e cá estou eu falando sobre o que me faz feliz. O que me faz feliz, pergunto-me a mim mesma? Tanta coisa me faz feliz.
Família, amor, amizade – essenciais! Viajar, praia, mar, maresia, nadar, água de coco, a empada da casa das empadas, que fica no meio da estrada e quase de frente pro mar. Animais. Soltos, de preferência. 
Liberdade: de expressão, de pensamento, de idéias, de viver. Fotografia, arte, cultura, leitura, literatura – melhor dizendo, boa literatura. Natureza. Acampar – ai, não acampo há séculos! – , com direito a trilha e banho de cachoeira. Festa, dançar, drinks coloridos de nomes impronunciáveis e exóticos. Reencontrar amigos, fazer novos amigos, conhecer novos lugares e novas pessoas. Conhecer, conhecimento, saber, observar.
Fazer alguém feliz e receber o sorriso sincero desse alguém – um amigo, um parente, ou alguém que você não conhecia até 15 minutos atrás.
Viajar na batatinha, escorregar na maionese e cair de cara na mostarda – é, mostarda que é mais picante pra acordar de verdade. Pensar no nada olhando pra tudo, pensar em tudo olhando o nada. Pensar. Pensar me faz feliz, porque no pensamento sou livre, sem rédeas ou amarras. Música: rock nacional – sou viciada em Legião Urbana e Cazuza desde pirralha – , clássica – Claude Debussy é o favorito, não tem Mozart que chegue perto pra mim (e tenho dito!) – , jazz clássico e de preferência instrumental, blues, MPB – ai Marisa Monte, Elis Regina – , bossa nova – ai, Nara Leão, Tom Jobim, Toquinho.
Mensagens de texto trocadas com amigos, ai que coisa boa! Sou viciada em mensagem de texto e receber e mandar uma me faz muito feliz. Mando pra todos, pai, mãe, irmão, cunhada, madrasta, amiga, amigo, colegas de trabalho... todos! Não só por mandar, mas porque me sinto mais próxima. Mas se sentir mais próxima de alguém que já é próximo? Sim. E ponto.
Fone de ouvido. Coisa mais louca, fone de ouvido te faz feliz, Paolla? Faz. Faz porque quanto eu o coloco fico dentro do meu mundinho perfeito e nada pode me atingir. Nem pensamento.
Sorrir. E chorar. E sentir – tem coisa melhor que sentir, seja lá o que for? Para mim não há! Viver. Viver tudo. E com tudo a que tenho direito – amar, desamar, sofrer, chorar, sorrir. Viver. Carinho, abraço, e cafuné. Tomar banho frio em um dia de calor; achar dinheiro no bolso de uma roupa que você não veste há seis meses.
Dia nublado e dia de chuva, chuva forte, pesada; tempestade com direito a raios, trovões e relâmpagos. E falta de energia, que é bom pra ver as estrelas. Outono e primavera.
Porquê no outono a gente sente aquele ventinho gelado no rosto, o céu fica límpido e sem nuvens, e mesmo assim o sol brilha, fazendo todas as nuances de cores das folhas que caem ao chão dançarem nos olhos – amarelas, marrons, avermelhadas, que fazem da calçada um tapete de folhas e você se sente até importante quando passa por ele, é o tapete vermelho da natureza pra você, aproveite!
E primavera por quê o tempo esquenta mas nem tanto, os ipês desabrocham em mil cores, as flores começam a aparecer, os pássaros me acordam todos os dias – é, são eles que me fazem pular da cama antes do despertador tocar, descobri – , e o pôr do sol é o mais lindo – tons de púrpura, vermelho, rosa, e lilás ao fundo quando tá quase anoitecendo. Lua, noite e madrugada – adoro madrugada, é como andar no abstrato.
Estrada. Sim, pois estrada sempre te leva a algum lugar, que você pode conhecer ou não. Ou me leva de volta pra casa, ah, minha casa, minha cama, meus livros, meu canto, meu sofá, que coisa boa.
Fazer amor de madrugada. É, eu sei, parece letra de música do Kid Abelha, mas apesar de ser clichê, tem horário melhor? É um amor feito em um horário inusitado, que, pêgo desprevenido, não há quem diga não.  
Folha em branco. É. Por quê aí eu posso escrever sem ter fim, tudo que me vêm à cabeça – como agora. Porquê página em branco a gente preenche. Com poesia, poema, conto, crônica. Com tudo; com nada – mas o que é tudo? E o que é nada? Não sei. Com palavras que nunca serão ditas – nem lidas. Com palavras que serão ditas e lidas. E eu escrevo porque vejo a folha em branco, e, como toda mulher – toda? – sou insaciável, e, sendo insaciável, enquanto estiver em branco escrevo. Até que me falhe a inspiração, me doa os dedos, ou fique longo demais como já está, e eu vou ficando por aqui antes que fique maçante.
Mas e quanto a você, já parou pra pensar no que te faz feliz?

Paolla Milnyczul

"Você é o que você requer, recruta, rabisca, traga, goza e lê. Você é o que ninguém vê."  Martha Medeiros




Conteúdo protegido por Direitos Autorais.

4 comentários:

  1. ... Me desculpe, mas mesmo que ache um exagero da minha parte; eu gosto de você! Que texto mágico! Menina, você conseguiu despertar em mim essas sensações doces do sentir, do gostar. Estou encantado contigo e com tudo que escreves. Maravilhoso!!!!

    ResponderExcluir
  2. O que me faz feliz? Ter, ser, estar e sentir.

    Ter as pessoas essenciais por perto.
    Ser quem eu sou.
    Estar sempre presente.
    Sentir esse amor enorme que tenho aqui dentro.

    AMEI o texto! Beijos amora

    ResponderExcluir
  3. Felicidade é um momento, uma música, um abraço, um sorriso, palavra certa, é um tantim de cada coisa que nos completa.

    Beijo Paolla

    Seja bem vinda!

    ResponderExcluir
  4. o seu texto me faz feliz. Quando sair o seu livro, serei ainda mais feliz. Não demore então.

    ResponderExcluir